Sociedade

PR NA GRADUAÇÃO DA PRM: Sancionar severamente polícias infractores.

Friday, 10/07/2015 | 08:25 OS comportamentos desviantes no seio da Polícia da República de Moçambique (PRM), que mancham o bom-nome da corporação, devem ser severamente sancionados.

Esta orientação foi dada ontem pelo Presidente da República e Comandante-Chefe das Forças de Defesa e Segurança, Filipe Jacinto Nyusi, na Escola Prática da Polícia de Matalane, distrito de Marracuene, província de Maputo, onde dirigiu a cerimónia de encerramento do XXXIV Curso Básico da PRM e XIII Curso Básico da Unidade de Intervenção Rápida.

De acordo com o Chefe do Estado, aos membros que representam a nossa Polícia devemos exigir rigor, estrito respeito pela legalidade, direitos humanos, imparcialidade, isenção, objectividade, apartidarismo, integridade e ética profissional no cumprimento das suas missões.
“Não podemos continuar com membros com comportamentos alheios à missão da Polícia. Queremos que o cidadão encontre na Polícia alguém que respeita a lei, um professor, um amigo e não alguém o contrário destes valores. Os agentes devem se comportar de forma ética”, referiu o Presidente Nyusi.

O Comandante-Chefe apontou a segurança e tranquilidade públicas como factores indispensáveis para a construção de uma nação sã e apelou, por isso, aos agentes da PRM a trabalhar com zelo.
“Só com a paz e estabilidade é que teremos as condições adequadas para prosseguir a árdua batalha para o progresso. Os recém-graduados acabam de vencer uma batalha, a primeira de muitas que exigirão de vós  total entrega, determinação, profissionalismo e comprometimento cerrado e sem tréguas contra a criminalidade. O juramento da Bandeira que acabam de fazer não é uma mera formalidade. Cada palavra, cada frase por vós proferida, é uma dimensão que transcende o momento que vivemos”, disse o Chefe do Estado.

Ainda dirigindo-se aos graduados, o Presidente da República acrescentou: “o vosso juramento representa um compromisso solene de defender os mais altos interesses e valores nacionais. Significa que os vossos interesses não devem, em ocasião alguma, sobrepor-se aos interesses do nosso país. Significa que defenderão sempre o cidadão, o vosso patrão”.

Segundo o Chefe do Estado, o país enfrenta nos últimos tempos vários desafios que põem à prova a capacidade da nossa Polícia de prevenir e responder aos novos fenómenos criminais, sendo por isso que urge dar seguimento ao processo em curso visando remover, aprimorar a capacidade da PRM, através de acções formativas e de alocação de meios mais modernizados que a permitam prevenir e combater as actividades criminosas.

Por seu turno o Ministro do Interior, Jaime Basílio Monteiro, afirmou que o seu pelouro vai continuar a apostar na formação do Homem, como forma de dotar a PRM de homens capazes de assegurar o combate ao crime nas várias frentes. Segundo ele, outra componente importante na qual se está a apostar é a alocação de meios de trabalho às Forças de Defesa e Segurança, facto que tem vindo a conferir maior visibilidade e actuação da corporação.

Não foi avançado oficialmente o número dos graduados, havendo no entanto indicação de serem mais de dois mil homens. O comandante da Escola Prática de Matalane, Feliciano Chongo, fez saber que dos instruendos inscritos para este curso 98.5% terminaram com aproveitamento positivo, o que revela o empenho que vem sendo feito pela unidade de colocar mais homens no terreno a garantir a ordem, segurança e tranquilidade públicas.

fonte: jornalnoticias.co.mz

Comentário