Entretenimento

25 talentos já constroem castelo de sonho no MOZKIDS

Segunda-feira, 02/07/2018 | 14:16 “Quem nasceu neste país é flor”. Então, o Cine Scala, em Maputo, transformou-se num jardim autêntico e o palco lá montado uma montra do que de melhor se tem no jardim, não fosse por ali terem perfilado vaticínios de sonhos por via da revelação de aptidões ainda em formação.

Resultado de imagem para 25 talentos já constroem castelo de sonho no MOZKIDS

É o MOZKIDS Talents, iniciativa da SOICO em parceria com o BancABC, que, nesta primeira edição, continua à procura de talentos, aos quais o país vai vergar-se. Nesse sentido, na tarde de sábado, entre 14h e 17h, crianças com idades correspondidas entre os seis e os 12 anos subiram à ribalta e, sob os holofotes da televisão e do público, demonstraram, divididas em cinco categorias, o que Moçambique perdia antes de ter concurso desta natureza.

A primeira categoria aberta à gala foi Dança. Nesta, 13 crianças esmeraram-se para convencer o júri, o que não foi de todo possível. Entre boas performances exibidas, Maria Helena Pinto e Ivan Manhique escolheram as melhores. Assim, foram apurados sete candidatos. A primeira classificada, por ter adquirido maior pontuação, foi Keily Boane, menina de 11 anos, aluna da Willow International School, cujo sonho é ser advogada. Enquanto isso não acontece, a futura estudante da Faculdade de Direito inscreveu-se ao MOZKIDS Talents porque quer mostrar ao público o seu talento. A acompanhar a Keily para a fase seguinte, estão a dupla Irene Tembe e Melta Tembe; Kayani Machavane, com 9 anos de idade, grande simpatizante de Lionel Messi; Yuran Manhiça; Charlim Machava, quem acredita que vai ganhar a presente edição do concurso; a dupla Isabel Tatos e Ayusca Novela e a pequena Shirley.

À semelhança do que aconteceria em todas as categorias, os encarregados que acompanharam as crianças procuraram ser imparciais, cedendo sempre aplausos aos concorrentes que se distinguiam dos outros. Com o mesmo fair play, os participantes do MOKIDS Talents apoiaram-se mutuamente, todavia, a reciprocidade não impediu tristeza no momento derradeiro. À medida que os membros do júri chamavam os nomes dos apurados, a tensão dos petizes sujeitos à espera agravava-se. E então as lágrimas jorraram no rosto dos eliminados, depois da sentença, entre sorrisos dos vitoriosos que tiveram razões para continuar no Scala e acompanhar a segunda categoria do dia: a Poesia.


HÁ POETAS DO MOZKIDS

Se na abertura da categoria de Dança a aluna da Birlik International Scholl, Ezaly Assura, seis anos de idade, mostrou competência, o mesmo deve-se dizer do primeiro concorrente de Poesia chamado a intervir: Edmilson Chau, aluno do Colégio Arco-Íris, 11 anos de idade. Bem dito, incrível é pouco para classificar o declamador que escolheu o poema “1 de Junho” para partilhar com o público. No seu recital, cheio de classe, segurança, boa dicção e espontaneidade, Edmilson, nos seus versos, lembrou-se das crianças que não têm pais, não sabem o que é uma escola e ainda pediu afecto e amor para todas as crianças do mundo. E o declamador, cúmplice da poesia desde ano passado, ainda deixou uma sugestão: “Recomendo que todas as crianças sigam os seus caminhos, sigam os seus sonhos e não abandonem o que acreditam”.

Edmilson Chau foi o primeiro classificado na categoria de Poesia, na qual o júri selecionou cinco concorrentes num universo de 10. Os outros quatro foram: Yussile Makodzo, 11 anos de idade, da EPC do Língamo, e que gosta de ler os poemas de Anísio Buanaissa; Paula Missa, 9 anos de idade, aluna do Externato Cantinho do Céu, quem explicou, depois da actuação: “gosto de poesia porque aprecio comunicar-me com as pessoas através dos versos”; Alaina Dava e Elísio Massango.

Depois de se ouvir a beleza da palavra contida nos versos, seguiu-se a vez dos Instrumentos Musicais. Nesta categoria foram apurados três participantes, num universo de cinco. Com efeito, os concorrentes que convenceram foram Tanaya Cumbana, 12 anos de idade, quem tocou “Minuet”, e que escolheu a música para participar no MOZKIDS porque julga a arte uma maneira bonita de expressar sentimentos. Igualmente, foi apurada para a fase seguinte Maya Assane e Fernando Jaime, 9 anos de idade, da escola Junica, e que, para esta aparição, preferiu tocar a canção evangélica “Nita mutlanguela Yeova”. Aos coros, pais, irmãos e encarregados de educação corresponderam ao teclado de Fernando, com ou sem afinação.


MELVIN RAIMUNDO E DANIEL DAVID: UMA AULA DE REPRESENTAÇÃO NO MOZKIDS TALENTS

Seis concorrentes disputaram o apuramento para a fase seguinte do MOZKIDS Talents. No entanto, só a metade conseguiu alcançar tal proeza. Dos apurados, o destaque foi para a dupla Melvin Raimundo e Daniel David, com 10 e 11 anos respectivamente. Os alunos do Instituto Nília deixaram a audiência do Scala estupefactos. Os meninos foram, de longe, os melhores actores em palco, numa actuação que uniu o burlesco e o efeito didáctico de forma perfeita. O título da peça apresentada pela dupla foi “A turma do Malume”, e contaram com a preparação do professor Ventura. Foi um baile de teatro que os dois amigos deram no MOZKIDS. Inclusive, pareceu que os pequenos actores já fizessem parte de um grupo profissional de teatro há tempo, mas não. No sábado, foi a segunda vez que apresentaram-se em público, a primeira fora da escola. Segundo explicam, preferiram concorrer com teatro para o concurso porque sabem que são bons de piadas. Então, “desta maneira, queríamos fazer rir as outras crianças e ensinar-lhes alguma coisa com a nossa peça, mostrando que a escola pode ser uma coisa maravilhosa e má”, disse Daniel David, à imagem de Melvin, parecendo sempre actor, mesmo no plano real.

Na categoria de Teatro, também foram apurados Fernanda Raimundo, 10 anos, aluna do Colégio Arco Íris, e a dupla Shelton Matias, 11 anos, e Tatiana Arlindo, da Escola Unidade 22.


POR FIM O CANTO

Esta deve ter sido a categoria mais equilibrada. Das 14 candidaturas, mais da metade reuniu requisitos para passar à fase seguinte. Mas os membros do júri apenas queriam sete. Então, ao contrário do que sucedia noutras categorias, na de Canto o júri teve que pedir à apresentadora do programa, Yara da Silva, e ao Moziko, claro, seu fiel companheiro, mais tempo para seleccionar os melhores. Assim, a ventura esteve do lado, primeiro, de Juelma Moiane, menina com 11 anos de idade, aluna do Instituo Nília. A pequena cantora interpretou “Bem”, de Michael Jackson, porque aprecia a performance vocal do astro americano. No segundo lugar do apuramento, esteve Anícua Mazonda, 10 anos de idade, a estudar no Dom Bosco. Mazonda cantou “Sou humano”, de Bruna Carla. Em terceiro lugar esteve Dárcia Mondlane, 11 anos de idade, aluna da EPC de Sicuama. Portanto, para preencher a lista dos apurados, também foram apurados AlianaTembe, 12 anos, Birk Intercional School; Tamires Moiane, 11 anos, aluna da 3 de Fevereiro; Cledy Gawane, 12 anos, da Arco-íris; e Ester Maculuve.

Assim, somando todas as categorias, 25 concorrentes foram apurados para a próxima gala do MOZKIDS Talents. Já sábado, no Scala, a partir das 13h.

fonte: opais.sapo.mz

Comentário