Mais de dois mil alunos deixam de assistir aulas sentadas no chão


Sociedade

Mais de dois mil alunos deixam de assistir aulas sentadas no chão

Friday, 20/07/2018 | 10:34 Mais de dois mil alunos deixarão de assistir aulas sentadas no chão, na Escola Primária de T-3 na cidade da Matola, porque a empresa Mozal entregou esta quinta-feira 870 carteiras que serão distribuídas por três escolas.

Mais de dois mil alunos deixam de assistir aulas sentadas no chão

No total serão mais de 2610 crianças que a partir de agora deixarão de estudar sentadas no chão, algumas delas, pela primeira vez desde que ingressaram na escola. A iniciativa foi da empresa Mozal que disponibilizou 870 carteiras duplas, sendo que 720 das mesmas estão destinadas a Escola da T-3.

Mateus Mosse, director das relações exteriores e desenvolvimento comunitário da Mozal, falando na ocasião, disse que esta era a continuação de uma iniciativa que já tinha entregado carteiras a todas escolas secundárias de Boane

‘’ Esta escola nos provoca uma certa comoção, porque de uma população de mais de seis mil alunos só tem 200 carteiras’’, referiu, acrescentando que feitas as contas a escola precisa de 718 carteiras, porém a sua empresa preferiu oferecer 720.

Mosse disse igualmente que a sua empresa estava presentemente envolvida na construção de cinco salas de aulas da Escola Primária de Chibaulana, também na Matola.

O director distrital da educação da Matola, Daudo Soal disse que as carteiras representam um passo em direcção a eliminação de alunos sentados no chão e na melhoria da qualidade de ensino a nível da Matola, mas as necessidades continuam.

‘Temos cerca de sete mil carteiras ainda em falta na Matola’, Disse aquele dirigente, que entretanto espera que até ao fim deste ano esse número seja reduzido, uma vez que tem conhecimento de planos do governo local, provincial e central de compra de carteiras.

Dirigiu a cerimonia o governador da província, Raimundo Diomba que aproveitou a ocasião para apelar a outras empresas que constituem o maior parque industrial do país, que é a Matola para seguirem o exemplo da Mozal.

‘‘Queremos chamar atenção as outras empresas que tem maior capacidade que a Mazol para que façam esta prática. Mozal esta a tornar-se cada vez mais presente na área social”, disse o governante.

A cidade da Matola conta com um universo de 400 mil alunos que estudam em 153 escolas, sendo 88 das quais primarias. O director da Escola Primária e Secundária da T-3, Miguel Chirindza precisa de obras de reabilitação. O director diz que a requalificação da escola, de primária para secundária devia ser acompanhada de melhoramento das infraestruturas, porque esta foi construída em 1971 para o ensino primário.

‘’Para não exagerar, posso dizer que a nossa escola está obsoleta, as salas existem há mais de 40 anos. A infra-estrutura precisa de uma intervenção de raiz’’, disse.

Estudam actualmente na escola cerca de seis mil alunos assistidos por 95 professores, em 37 salas de aulas.

fonte: opais.sapo.mz

Comentário