Uma vez mais… Tamires


Entretenimento

Uma vez mais… Tamires

Monday, 23/07/2018 | 11:46 Espectacular. Talvez esta seja a palavra mais apropriada para resumir a actuação da aluna da 3 de Fevereiro, que, ao desafiar-se a si própria, interpretou “A vansati va lomu”, não na versão de Mingas, mas na sua própria recriação.

Uma vez mais… Tamires

Chama-se Tamires Moiane e tem 12 anos de idade, poucos para o talento vocal que possui. Por isso, quando sobe ao palco gera expectativa e ansiedade. Cantando como só ela sabe, a MOZKIDS fez do canto coisa fácil, na sua melhor performance nesta primeira edição do concurso infantil organizado pela SOICO e o BancABC. 

Na tarde de sábado, no Cine Scala, em Maputo, Tamires Moiane, a concorrente mais votada na categoria de Canto, pela segunda semana consecutiva, recuperou a música por via da qual conseguiu apurar-se no casting realizado no Matxikitxiki, mês passado, desta vez, homenageando a avó Cecília, tão sortuda por ter uma neta deveras talentosa. De facto, na voz de Tamires, a música ganhou outra sonoridade, mais suave, simultaneamente arrepiante. A língua portuguesa precisa de mais palavras para se descrever o fenómeno que ocorreu no palco do MOZKIDS. Talento puro. Logo, Maria Helena Pinto, um dos membros do júri, não poupou elogios. Repetiu-se, bem dito, o que já havia afirmado nos espectáculos anteriores. A Tamires é de um talento de dar inveja às melhores cantoras que a Stv formou no Fama Show e até a várias moçambicanas com longo percurso. Génio. A esta altura, esta palavra é melhor que Espectacular.

Nesta quinta gala do MOZKIDS Talents, Tamires Moiane foi uma das meninas que esteve perto da pontuação máxima no Canto. Faltou-lhe uma nota para 30, que Marcelle Claquin não cedeu por mera fatalidade. Nada que assustasse à nova estrela em formação. Saiu sorridente, como também saiu Érica Tembe, a menina que acumula duas categorias do MOZKIDS Talents: Canto e Instrumentos Musicais, não fosse ela actuar sempre acompanhada por uma guitarra disposta a seguir suas ordens. A aluna do Instituto Nília, 10 anos de idade, igualmente, somou 29 pontos, ao interpretar “Minha infância”. Foi uma actuação muito equilibrada da Érica, quem se esmera por manter o seu toque artístico nas músicas por si cantadas.

Em terceiro lugar, em termos de desempenho, na categoria de Canto, esteve Juelma Moiana, a quem Marcelle Claquin convidou para cantar nas suas aulas de dança. Juelma cantou “Eu vou seguir”, de Marina Elali, e, mais uma vez, mostrou que não está no concurso para aplaudir. Longe disso, a menina é outra talentosa, com brio e rigor vocal.

Além destas três meninas, seguem para a sexta gala mais três: Melony Macaringue, Dárcia Mondlane e Inalda Sumburane. De fora ficaram Daniela Machel e Alliyana Tembe.

O melhor trio dos instrumentos musicais

Com palmas. É sempre assim que o público reage à satisfação resultante das actuações de Fernando Tinosse no MOZKIDS Talents. No último sábado, não foi diferente, mesmo porque o menino investe sempre em tocar, no seu teclado, músicas populares. Segundo entende Maria Helena Pinto, Fernando toca como se dançasse. E, acrescente-se, como se celebrasse alguma coisa que ainda não revelou. O que revelou, de forma atabalhoado, foi que começou a tocar lá vão dois anos. Portanto, na altura tinha sete anos de idade. Foi o tio Mondlane quem lhe ensinou, mas é com o pai que ensaia. 

Não obstante, no que ao teclado diz respeito, os maiores predicados foram para Tanaya Cumbana, apreciadora de música clássica, que interpretou “Cloudy day”, com muito receio de falhar. Porque concentrou-se com perfeição, não falhou. Antes pelo contrário, acertou sempre. Então, no fim da actuação, o júri rendeu-se e atribui a classificação máxima.

Que também somou 30 pontos foi Igor Sobral. O baterista parece que entrou possuído. Actuou enérgico como nunca. Não só tocou, como fez um autêntico espectáculo, interagindo com o público sem nunca perder o ritmo. Na quinta gala, o menino que escolheu a bateria por admirar outro baterista, Joshua Zaqueus, mostrou o melhor de si até aqui e garantiu o apuramento para a fase seguinte.

Nesta categoria, de fora ficou Shabir Simango.

Ana Milena reinventa-se na poesia

A pequena declamadora cansou “de se repetir”. Então, resolveu surpreender. Ao palco, nesta gala, não foi sozinha. Consigo levou um guitarrista para se armar em produzir sons agradáveis a fim de dar outra substância à sua arte. Assim, Ana Milena recitou o poema “Capulana”, de Énia Lipanga. Nada ao acaso. Antes de a menina decidir caminhar por essa via, investigou. Foi à Internet e, depois de horas a fio à procura, eis que se deparou com o poema. Leu e logo identificou-se. Assim, levou-o ao MOZKIDS Talents, tendo, por isso, somado 30 pontos. Nesta categoria Ana Milena foi a única com pontuação máxima. Depois dela, em segundo lugar esteve Natolys Manjate, com 29. Natolys declamou “Se me quiseres conhecer”, de Noémia de Sousa, depois de Alayna Dava já o ter feito semana passada. O terceiro mais votado foi Elísio Massango, com 28 pontos, menino que recitou contra a violência doméstica causada às mulheres.

Thainara Calane foi a única concorrente eliminada na Poesia.

Teatro mais renhido

Já se previa que, na quinta gala, pelo menos um actor promissor iria ser eliminado. No caso, foram dois de uma só vez. A dupla Melvin e Denyel não somou votos suficientes para continuar no concurso. Assim sendo, “A turma do Malume” foi-se embora no meio de lágrimas, inconsoláveis pelo resultado. E têm razão, são muito bons para estarem fora do MOZKIDS Talents. No entanto, os que continuam são também muito promissores. Alguém tinha que sair. Desta vez foram eles, para “alegria” de Liane Fernandes e Denilson Manhique, mais uma vez a liderar a classificação semanal, Fernanda Raimundo e Ramla e Gleese Semkiwa.

Quanto à categoria de Dança, Ámbrosi Langa continua a convencer o júri e a somar muitos votos. Por isso, voltou a ser o primeiro classificado. O outro carismático que não desperdiça votos é Kayani Machavane, o menino de sorriso aberto. Em terceiro lugar, ficou a dupla Elaine Chavo e Stivenson da Encarnação. No quarto, quinto e sexto lugar, respectivamente, ficaram Yuran Manhiça, Anaís Macaringue e a dupla Shanaya Cumaio e Kyara Lopes.

Para sexta gala do MOZKIDS Talents passam 23 concorrentes.

fonte: opais.sapo.mz

Comentário