Saúde

Conforme o sexo, há doenças com maior ou menor risco. Saiba quais

Wednesday, 22/08/2018 | 15:12 Os números de vítimas de uma ou outra doença variam entre homens e mulheres.

Conforme o sexo, há doenças com maior ou menor risco. Saiba quais

Há aspetos que justificam tais diferenças, bem como diferentes formas de as tratar ou percecionar os seus sintomas. Este aspeto tem de ser tido em conta para um bom diagnóstico e prevenção de problemas associados a certas doenças.

Ocoração das mulheres é diferente do dos homens, logo, a medicina a ele associado também deve ser especializada. A par das doenças cardíacas, outras apresentam diferenças conforme o sexo como comprova um atual estudo que alerta para os diferentes sintomas associados a cada caso, que devem ser conhecidos para bem se prevenir certos acidentes.

Começando pelos problemas associados ao coração, diz o Real Simple que os conhecidos sintomas de ataque cardíaco que passam por dor no peito, sensação no braço esquerdo seguidos de queda do corpo acontecem no sexo masculino, mas no caso das mulheres, o problema pode surgir de outras formas: em vez de dor no peito, muitas alegam sentir dores nas costas, pescoço ou estômago, a par da sensação de náuseas e tonturas.

Este é apenas um dos exemplos que comprovam que, a nível da medicina, o corpo humano não deve ser assumido como semelhante em todos os casos. A par do ataque cardíaco, especialistas especificam os casos de cada sexo em mais cinco doenças relativamente comuns.

Alzheimer:

A população feminina é a que mais sofre desta doença, motivo que se prende pelo facto de as mulheres contarem em média com uma maior esperança média de vida a que se associa uma maior degradação cerebral e estado de demência.

A par da velhice, aspeto que se associa ao desenvolvimento da doença embora não seja o único, estudos provam que, numa amostra onde todos os indivíduos contam com o gene de Alzheimer, são as mulheres que mais o desenvolvem, com uma prevalência e 80%

Cancro do Cólon:

Estima-se que a percentagem dos que sofrem deste tipo de cancro é de 5%, dentro do qual são as mulheres que mais morrem por via desta doença. O motivo poderá prender-se com a tendência por parte do sexo feminino em desenvolver os tumores cancerígenas no lado direito do cólon, já os homens, têm-no principalmente do lado esquerdo. A localização dos tumores é bastante relevante já que o lado direito é maior, logo, propicia um maior desenvolvimento dos tumores que podem rebentar e levar a implicações mais graves

Depressão:

A persistência de sentimentos de tristeza e solidão é maior no caso das mulheres (20 para 10% da população a nível mundial) e a ‘culpa’ é das hormonas de cada sexo, como já foi comprovado por vários estudos.

Enxaquecas:

Este é mais um caso em que as mulheres são o sexo mais afetado, havendo o triplo das vítimas do sexo feminino por comparação com o masculino. Maior sensibilidade à luz e cheiros poderá ser a origem do problema, aspeto que se relaciona também com a questão hormonal, já que a maior tendência para enxaquecas surge durante a menopausa ou gravidez

Apneia do sono:

Já neste caso, são os homens que mais sofrem do problema (25% para 10%). Estudos verificaram que o sistema hormonal feminino defende as mulheres contra a apneia de sono, é por isso que mais mulheres sofrem do problema aquando da menopausa, aquando se uma diminuição de tais hormonas.

fonte: opais.sapo.mz

Comentário