Desporto

Ferroviário de Maputo faz dois a zero no play-off da final da Liga Mozal

Friday, 24/08/2018 | 11:59 “Salanine va makwero, hi ta tlhela hi vonanana!” (Adeus irmãos, voltaremos a nos encontrar) Cantaram os adeptos adeptos do Ferroviário de Maputo no finalzinho do jogo.

Ferroviário de Maputo faz dois a zero no play-off da final da Liga Mozal

Como quem diz está tudo ganho. Engana-se quem pensa que se tratava de um adeus para sempre, que está tudo perdido! “Não, não há ainda mais três jogos pela frente”, rebateu Nazir Salé, técnico do Ferroviário da Beira. Caros patrícios, há jogos da Beira…

Indo ao jogo…

Um jogo ganho nos detalhes! Uma partida emotiva do início até ao fim, um verdadeiro perfume do que existe de melhor na modalidade da bola ao cesto! Assim pode se resumir o que viu-se no Pavilhão do Maxaquene. Quem lá não esteve, ou não viu pela Stv e Stv notícias, seguramente ouviu falar. Foi um show de bola….

Em vantagem de 1-0 no play-off, o Ferroviário de Maputo entrou com fortes penetrações lideradas principalmente pelos irmãos Novela. Nesta etapa, os “locomotivas” de Maputo chegaram a ter uma vantagem de mais de 15 pontos. Até o jogo exterior de falhou no jogo um começou a resultar para os locomotivas da capital. Os actuais vice-campeões, até tiveram espaço para fazer afundanços. Até aqui estava tudo uma maravilha. Do lado do Ferroviário da Beira, mesmo com a entrada de Ismael Nurmamad - atleta que não esteve no jogo um, em resultado da recuperação de uma lesão, os campeões nacionais eram sempre anulados. Perdendo quase sempre nas disputas de bola nas tabelas. Nesta etapa Nazir Salé foi obrigado a pedir desconto de tempo por duas vezes de modo a fazer reajustes. Entretanto, em razão da avalanche ofensiva, o Ferroviário de Maputo saiu do primeiro período a vencer por 32-13, ou seja uma diferença de 19 pontos.

No segundo período, os “locomotivas” da Beira entraram melhor reduzindo consideravelmente a desvantagem, mas depois foi perdendo muitas bolas, facto aproveitado pelo adversário para continuar a pontuar. Como forma de abrandar a acção ofensiva do Ferroviário da capital, o Ferroviário da Beira fez defesa homem a homem e saídas contra-ataques. Mas acabou saindo desta etapa por 39-43.

No terceiro período, galvanizados pelo apoio do público, os “locomotivas” da Beira foram crescendo, mas pela frente um Ferroviário de Maputo imparável saindo desta fase a vencer por 60-50.

Quando o feitiço volta-se contra o feiticeiro!

Tal como fez o Ferroviário de Maputo no jogo um, que venceu o jogo nos últimos minutos, o Ferroviário da Beira esteve perto de fazer o mesmo, tendo chegado a liderar a marcha marcador pela primeira vez na partida, mas mais uma vez, do lado dos vice-campeões, Alvaro Manso voltou a ser determinante para a vitória do Ferroviário de Maputo.

Nervos à flor da pele levam a expulsão de Warner

Porque o tempo estava contar e desfecho parecia irreversível, os nervos começaram a fazer das suas. Angelo Warner, base principal do Ferroviário da Beira, acabou expulso após golpear Orlando Novela. Sendo assim, Nasir Salé não poderá contar com os préstimos do jogador que no jogo 1 foi o melhor marcador da equipa e do jogo com 22 pontos.

fonte: opais.sapo.mz

Comentário