Sociedade - Economia

PIB cresce 3,4 por cento de Janeiro à Setembro

Quarta-feira, 07/11/2018 | 12:02 O Produto Interno Bruto (PIB) cresceu 3,4 por cento de Janeiro à Setembro do corrente ano, em Moçambique, apesar das chuvas acima do normal que caíram no primeiro trimestre e que afectaram a execução do orçamento do Estado, sobretudo na agricultura.

Para o presente ano, o PIB deverá atingir 5,3 por cento.

Falando ontem, em Maputo, após o término da 35ª sessão ordinária do Conselho de Ministros, a porta-voz do órgão, Ana Comoana, disse que as receitas atingiram 15 por cento, e a despesa pública fixou-se em 11,8 por cento.

Sobre a despesa, Comoana afirmou que o Governo priorizou os sectores económico e social, cuja execução global é de 62,8 por cento.

A porta-voz disse que, actualmente, a receita do Estado situa-se em cerca de 152 mil milhões de meticais (um dólar equivale a 61 meticais, ao câmbio do dia), dos cerca de 22 mil milhões de meticais planificados.

“Este indicador (PIB) já demonstra melhoria do desempenho da economia nacional”, afirmou.

Ainda na sessão de hoje, o Governo aprovou o regulamento para o fomento, produção, comercialização, processamento e exportação do caju.

O regulamento visa actualizar, bem como clarificar as normas que regulam a indústria do caju em toda a sua cadeia de valor.

Comoana disse que o instrumento deverá contribuir no desempenho do sector do caju, incluindo criar uma maior competitividade com impacto na geração de renda das famílias, bem como na criação de emprego.

O documento estabelece ainda os mecanismos da investigação, fixação de preços, bem como a classificação do caju, de acordo com a qualidade.

No país existem acima de 16 fábricas de processamento do caju.

Ainda na mesma sessão, o Governo homologou a nova toponímia de infra-estruturas como vias de acesso e unidades administrativas dos municípios de Maputo, Chimoio, Ulónguè, Maganja da Costa e Malema.

Com a homologação, o Executivo pretende melhorar a qualidade dos serviços de endereçamento, comunicação, cartografia, e a valorização da história, reforçando a auto-estima e soberania.

Sobre a nova toponímia, Comoana disse que os proponentes foram os respectivos municípios.

Na sessão de hoje, o Governo aprovou a revisão do sistema nacional de arquivos do Estado, um instrumento que visa harmonizar as fases de gestão de documentos, atendendo as especificidades dos órgãos e instituições do Estado.

Por fim, o Executivo deverá rever a lei que cria o serviço cívico de Moçambique, uma proposta que visa ajustar a lei quanto a duração máxima de cumprimento do serviço cívico, bem como os seus direitos.

“A proposta visa, igualmente, criar a possibilidade de integrar os servidores cívicos nas Forças Armadas de Moçambique após o cumprimento destes serviços, tendo em conta, a especialidade típica da sua formação e disponibilidade de vaga”, vincou Comoana.

fonte: folhademaputo.co.mz

Comentário