Entretenimento - Agenda Cultural

Camões discute a obra de Afonso Cruz

Thursday, 08/11/2018 | 15:43 No âmbito da iniciativa Escritor do Mês, o Camões – Centro Cultural Português, em Maputo, dedica o mês de novembro de 2018 ao escritor Afonso Cruz.

Camões discute a obra de Afonso Cruz

Com objectivo de aprofundar o conhecimento do trabalho do escritor português, terá lugar no dia 8 de novembro de 2018, uma sessão denominada “Os livros que nos devoraram - Leituras de Os livros que devoraram o meu Pai e outras obras”, dinamizada por Mário Forjaz Secca, na Biblioteca do Camões - Centro Cultural Português.

A iniciativa Escritor do Mês, visa promover a leitura, sobretudo junto dos mais jovens e contribuir para um melhor conhecimento e divulgação de escritores e obras em língua portuguesa. Mensalmente, é escolhido um escritor e, em parceria com instituições de ensino superior, associações e grupos de teatro, é feita uma selecção de textos do autor a apresentar publicamente numa sessão que permite também explorar possibilidades de dizer o texto literário. Escrita e oralidade estão, assim, também em foco nestas sessões.

Este espaço homenageia, mensalmente escritores nacionais e internacionais. Eduardo White, Luís de Camões, Luís Carlos Patraquim, José Saramago e Ungulani Ba Ka Khosa são alguns que já foram celebrados neste nobre espaço de conversa e aprendizagem.

O homenageado, este mês, Afonso Cruz, é escritor, ilustrador, cineasta e músico português. Estudou na Faculdade de Belas Artes da Universidade de Lisboa e no Instituto Superior de Artes Plásticas de Madeira. Foi vencedor do Grande Prêmio de Conto Camilo Castelo Branco (com Enciclopédia da Estória Universal, em 2010), do Prêmio Literário Maria Rosa Colaço de melhor livro infantojuvenil (com Os livros que devoraram o meu pai, em 2009), do Prêmio SPA/RTP de melhor livro de literatura infantojuvenil (com A Contradição Humana, em 2011) e do Prêmio da União Europeia de Literatura (com A boneca de Kokoschka, em 2012). Actualmente mora no Alentejo, em Portugal.

Mário Forjaz Secca, o dinamizador desse evento, nasceu em 1957 em Moçambique, onde viveu até aos 17 anos, tendo aí aprendido a sonhar e sido contaminado pela Poesia. Foi de seguida para Inglaterra estudar Física, apesar de passar grande parte desse tempo imerso a ler e a escrever poesia. Ficou depois fascinado pela viagem, passando 8 meses em 1986 a dar a volta ao mundo sozinho. No final do périplo foi viver para Portugal onde passou muitos anos a ensinar na Universidade e a fazer investigação em imagem médica, particularmente sobre o cérebro.

Actualmente trabalha em Imagem Médica no HCM e é Professor de Física Médica e Engenharia Biomédica no ISTEM. Publicou em 2015 o livro de poesia "A Criação da Memória", com a chancela da Chiado Books.

fonte: opais.sapo.mz

Comentário