Desporto

Análise/Benfica 6-0 Marítimo: Noite de Super Wings na 'águia' mais goleadora do século XXI

Tuesday, 23/04/2019 | 13:13 Os seis golos foram apontados por homens dos flancos ofensivos do Benfica.

Os seis golos foram apontados por homens dos flancos ofensivos do Benfica.

Resposta contundente do Benfica após eliminação da Liga Europa. O Marítimo ofereceu pouca resistência a avalanche atacante da formação 'encarnada', que retomou a liderança da Liga com meia dúzia de golos, após grande segunda parte, numa altura em que o Marítimo já só esperava pelo apito final. Os 'encarnados' chegaram aos 124 golos esta época, igualando a temporada mais goleadora desde século XXI, que vinha de 2009/2010. A equipa de Bruno Lage fica a apenas um tento de igualar o máximo de golos do Benfica na Liga este século (88 golos).

João Félix brilhou com dois golos uma assistência, Cervi também bisou. Pizzi e Salvio fizeram os tentos, Seferovic foi o 'rei' do desperdício, neste jogo que fechou a 30.ª jornada da Liga. Os seis golos foram apontados por homens dos flancos ofensivos do Benfica.

O Jogo: Ou acabava em goleada ou em Charles elevado a herói

Para se perceber bem a dimensão da goleada, é preciso olhar para os números do encontro. Podem não explicar tudo mas ajudam a perceber a forma como o Benfica chegou a meia dúzia de golos contra este Marítimo, que podia ter acabado como o seu vizinho e rival da Madeira, o Nacional, que perdeu 10-0 neste mesmo estádio. Ao todo, foram 25 remates, 11 deles enquadrado com a baliza. Charles ainda foi negando um ou outro golo mas não podia travar todos os remates. Demasiado Benfica para tão pouco Marítimo, um emblema que ainda luta pela manutenção.

A tarefa de Petit estava condicionado à partida, depois de ter admitido que pediu a dois jogadores que vissem o quinto amarelo na última jornada para que os mesmos cumprissem castigo na Luz e assim estarem 'limpos' para os restantes quatro jogos do Marítimo na I Liga. A juntar-se a Joel Tagueu e o capitão Edgar Costa, os insulares não tinham Zainadine Junior, patrão da sua defesa. E Petit, que tinha perdido nos anteriores nove jogos com o Benfica, tentava inverter a história e não voltar a ser vergado com nova derrota frente a sua antiga equipa como jogador.

Mas a história era outra: era de um Benfica com fome de golos, com pressa de regressar à liderança da Liga, com vontade de apagar da memória a eliminação nos quartos-de-final da Liga Europa frente ao Eintracht Frankfurt pelo critério de golos fora, depois de ter vencido na Luz por 4-2. Nos dois jogos, ficou sempre a ideia que o Benfica foi superior aos alemães. Quando João Félix marcou logo aos três minutos, após canto de Pizzi, no primeiro remate à baliza, respirou-se de alívio. Com o primeiro, o resto era uma questão de tempo.

E era porque o ataque do Marítimo na Luz apenas conseguiu fazer um remate nos 90 minutos de jogo (mais descontos) e esse remate nem saiu enquadrado com a baliza. A equipa ia tremendo na saída de bola, perdia o esférico com facilidade e apenas o desacerto do Benfica ia mantendo os insulares em jogo.

Mas o 2-0 de Pizzi logo aos 48 desfez tudo: a partir daí o Benfica embalou para a goleada, com Cervi e João Félix a bisarem e o regressado Salvio a marcar também. Seis golos de homens que atuam ou podem atuar nos corredores ofensivos do Benfica. Seferovic ficou em branco mas não se pode queixar de falta de oportunidades.

Liderança reconquistada com a 10.ª goleada da época na Primeira Liga, sete delas sob o reinado de Bruno Lage. Os 'encarnados' já tem mais 25 golos marcados que o FC Porto. Na próxima ronda na Pedreira frente ao SC Braga, Lage terá uma 'dor de cabeça': manter Cervi, que fez uma grande exibição, ou fazer regressar Rafa (cumpriu castigo) que está a fazer a sua melhor época no Benfica?

fonte: https://desporto.sapo.mz/futebol/primeira-liga/art

Comentário