Internacional

Estado Islâmico reivindica ataque no Sri Lanka

Tuesday, 23/04/2019 | 13:22 O grupo terrorista não dá provas, contudo, do seu envolvimento no ataque que matou mais de 320 pessoas.

O grupo terrorista não dá provas, contudo, do seu envolvimento no ataque que matou mais de 320 pessoas.

O Estado Islâmico reivindicou, esta terça-feira, a autoria dos ataques que acontecerem este domingo de Páscoa em várias igrejas e hotéis da cidade de Colombo, no Sri Lanka.

O anúncio foi feito através de um comunicado emitido pela sua agência de notícias, a Amaq. Contudo, salienta o The Guardian, não foram dadas provas dessas mesmas alegações.

"Os autores do ataque, que atingiu cidadãos de países da coalizão [países que declararam guerra ao Daesh]  são combatentes do Estado Islâmico", disse o grupo.

Ainda esta manhã o ministro da Defesa do Sri Lanka sugeriu perante membros do parlamento do seu país que o ataque concertado a igrejas e hotéis, que fez mais de 320 vítimas mortais, terá sido uma resposta a um outro atentado terrorista, que visou a comunidade muçulmana, em Christchurch, na Nova Zelândia.

O governante referiu que os ataques no último domingo de Páscoa surgiram como "retaliação" pelo ato cometido, no passado dia 15 de março, por um supremacista branco australiano que atacou duas mesquitas neo-zelandesas, matando 50 pessoas.

Esta é porém uma teoria que não colhe junto de alguns especialistas. Em causa está o facto de um ataque destas dimensões (pelo menos oito explosões, envolvendo vários bombistas suicidas, em vários locais distintos) implicar um trabalho que estaria a ser desenvolvido há vários meses. Este mesmo ponto é focado por, entre outros, Paul Buchanan, especialista neo-zelandês em matéria de segurança citado pelo New Zealand Herald.

Além do mais, falta apurar o que as autoridades do Sri Lanka fizeram, na sequência de avisos de segurança que chegaram e que davam precisamente conta da possibilidade de um ataque terrorista estar a ser preparado para este mês de abril.

fonte: https://www.noticiasaominuto.com/mundo/1239963/isi

Comentário