Saúde

MENINGITE NA CRIANÇA: AS CAUSAS E OS SINTOMAS A QUE DEVE ESTAR ATENTO

Friday, 26/04/2019 | 11:16 As explicações são do médico João Brissos, Pediatra no Centro da Criança e do Adolescente do Hospital CUF Descobertas. Dia 24 de abril é Dia Mundial da Meningite.

MENINGITE NA CRIANÇA: AS CAUSAS E OS SINTOMAS A QUE DEVE ESTAR ATENTO

As explicações são do médico João Brissos, Pediatra no Centro da Criança e do Adolescente do Hospital CUF Descobertas. Dia 24 de abril é Dia Mundial da Meningite.

O que é a meningite e quais as suas causas?
A meningite é uma doença causada pela inflamação das meninges, membranas que protegem o cérebro e a medula espinal. As causas de uma meningite dependem de vários factores, nomeadamente idade e doenças coexistentes. De todos os tipos de meningite, as mais comuns são as infeciosas, principalmente as de causa bacteriana e viral. Habitualmente são infecções adquiridas a partir do meio ambiente e na maioria das vezes pelas vias respiratórias, sendo portanto contagiosas.

A meningite viral não é tão comentada entre a população, talvez pela sua apresentação ligeira e habitualmente com bom prognóstico. No entanto, os sintomas podem confundir-se com outro tipo de infecções e até ter o diagnóstico definitivo pode ser confuso do ponto de vista de saúde pública. 

Quais as manifestações da meningite?  
Os sintomas de uma meningite podem confundir-se facilmente com outras doenças, até porque cada vez mais nas crianças surgem numa fase muito precoce da doença. Sintomas como febre, dores de cabeça, dores musculares, náuseas ou vómitos podem ser os únicos sintomas e estes surgem em inúmeras outras infecções.

De qualquer forma, os sinais de alarme para qualquer doença grave são sempre importantes de recordar: alterações do comportamento (ninguém melhor do que o cuidador da criança para interpretar estas alterações), respiração difícil, vómitos persistentes ou alterações da pele (principalmente com erupções que não desaparecem durante a pressão do nosso dedo) são exemplos de sinais que obrigam a uma avaliação médica.


Como se diagnostica?
O diagnóstico de uma meningite é clínico com o auxílio de uma punção lombar que permite colher e analisar o liquido cefalo-raquidiano que se encontra em torno do cérebro e medula espinal. Trata-se de um exame fácil de realizar e com grande utilidade diagnóstica.

Qual o tratamento?
O tratamento é essencialmente dirigido ao suporte de um organismo que se encontra sob uma infecção potencialmente grave. Para além da antibioticoterapia fundamental nas infecções bacterianas, deve-se ter a noção da importância dos cuidados médicos na monitorização contínua em busca de possíveis complicações ou compromissos de órgão, bem como de um suporte nutricional e hídrico adequado. 

A vacinação é um tema importante na prevenção uma vez que diminui o risco da doença. Na medicina é difícil falar de certeza absolutas e de facto estas vacinas não protegem a 100% a doença mas as crianças vacinadas estão certamente mais protegidas do que as que não são. Atendendo ao potencial de gravidade destas infecções, a vacinação é provavelmente a melhor estratégia a percorrer para as evitar. Convém não esquecer que são doenças transversais a toda a população em todo o mundo e algumas destas vacinas já foram introduzidas em alguns países europeus.

Perante a existência de vacinas contra algumas bactérias causadoras de meningite mas que são extra Programa Nacional de Vacinação, a sugestão é discutir abertamente com o médico assistente da criança as possíveis indicações vacinais e as dúvidas da respectiva família. A educação na saúde é o pilar do nosso sistema. 

As explicações são do médico João Brissos, Pediatra no Centro da Criança e do Adolescente do Hospital CUF Descobertas.

fonte: https://lifestyle.sapo.mz/saude/saude-e-medicina/a

Comentário