Saúde - Bem-Estar

Melatonina: conheça os benefícios do hormônio do sono

Segunda-feira, 06/05/2019 | 09:51 Você tem dormido bem? A pergunta é essencial para começarmos o assunto do nosso artigo de hoje. Muita gente não sabe, mas dormir bem é essencial para manter o bom funcionamento do nosso corpo e, portanto, para a manutenção da saúde.

Melatonina: conheça os benefícios do hormônio do sono

Você tem dormido bem? A pergunta é essencial para começarmos o assunto do nosso artigo de hoje. Muita gente não sabe, mas dormir bem é essencial para manter o bom funcionamento do nosso corpo e, portanto, para a manutenção da saúde. É a partir do sono que o nosso organismo descansa e recupera a energia perdida durante o dia na rotina diária de tarefas de cada uma de nós.

Quando falamos em descansar o corpo e dormir bem, não estamos falando de longas horas deitada em uma cama, mas sim de um sono de qualidade, do qual você desperte feliz e bem disposta para seguir o dia. Se você está dormindo por horas e horas, mas não está se sentindo com disposição para trabalhar ou estudar no dia seguinte; ou, ainda, está com problemas de insônia, saiba que pode ter algo muito errado aí.

Talvez o problema esteja relacionado à melatonina. Sem ela, você não consegue dormir e, é claro, não descansa de forma adequada, trazendo sérias conseqüências para a saúde, que podem variar entre o desenvolvimento de doenças severas e agressivas até um envelhecimento precoce e não sadio.

Mas, afinal, o que é a melatonina? Aposto que você já deve ter ouvido falar bastante por aí, mas não tem ideia do que seja e do quão importante é para a nossa saúde. Se você está sofrendo com a insônia e quer saber como melhorar as suas noites de sono de uma vez por todas, continue lendo esse artigo até o final e saiba tudo sobre a melatonina e como ela pode te ajudar a resolver o problema.

Melatonina: o que é e para que serve?
A melatonina nada mais é do que um hormônio produzido naturalmente pelo organismo, mais especificamente pela glândula pineal do cérebro, sendo a responsável pela regulação do nosso sono. Esse hormônio é liberado no nosso corpo durante a noite, uma vez que é necessária ausência da luz para que ele seja estimulado.

Daí, a importância do que diziam os médicos e nossos avós para a gente desde a infância, principalmente quando nos queixávamos da falta de sono: “Apague a luz que o sono vem”. É a mais pura verdade.

A melatonina faz parte do sistema endócrino do corpo, que, por sua vez, é responsável por regular as funções do sono, vigília e funcionamento do sistema imunológico. Em pouca quantidade no organismo, ela tende a causar insônia e outras doenças, como o câncer, uma vez que a imunidade fica fragilizada sem ela.

É normal, com o avanço da idade, a produção de melatonina ir diminuindo. Ou seja, quanto mais tempo passar, menos quantidade desse hormônio você terá no corpo, o que pode prejudicar o sono e acarretar problemas de saúde. No entanto, não é incomum ver jovens com insônia ou reclamando de noites de sono mal dormidas. O motivo, neste caso, pode estar relacionado ao estresse excessivo.

Quando a produção do hormônio diminui no organismo, é necessário fazer a ingestão a partir de alimentos específicos ou suplementos alimentares. Eles servirão para regular os níveis de melatonina no corpo e melhorar o ritmo biológico, melhorando o sono e prevenindo doenças graves.

Não é à toa que o seu consumo na forma sintética (suplementos) está se tornando muito popular atualmente, não só para tratar distúrbios do sono, mas também para prevenir doenças.

Benefícios da melatonina

Como falamos acima, a melatonina é responsável por uma série de benefícios ao nosso corpo, desde a regulação do sono até a melhora da saúde como um todo. Por isso, a ausência dela deve ser tratada com a ingestão de alimentos ou de suplementação.

Se esta é a sua situação, a recomendação é procurar um médico especialista para uma avaliação e, se for o caso, receitar o tratamento com os comprimidos. Confira, a seguir, os principais efeitos positivos da melatonina para a saúde:

1 – Induz o sono
Essa é a principal função da melatonina no organismo. Devido à sua ação vasodilatadora e poder de diminuir a temperatura do corpo, a ingestão de melatonina, seja por suplementação ou alimentos, ajuda a estimular o sono, mesmo durante o dia.

É ideal para tratar casos de insônia ou de problemas neurológicos que prejudicam uma boa noite de sono.

2 – Previne o câncer
Vários estudos indicam que a melatonina pode prevenir e combater vários tipos de cânceres, principalmente o de mama e de próstata. Isso porque o hormônio inibe a chamada angiogênese, que nada mais é do que o desenvolvimento de vasos sanguíneos alimentadores de células cancerígenas.

Além disso, é possível utilizar a melatonina para amenizar os efeitos colaterais da quimioterapia durante o tratamento contra o câncer. O resultado é de menos feridas na boca e fadiga, entre outros sintomas, além de aumentar a chance de sobrevida.

3 – Previne enxaquecas
Devido à presença de propriedades antioxidantes em sua composição, a melatonina também se mostrou eficaz no combate às terríveis enxaquecas. Ainda, o hormônio tem o poder de estimular a produção de serotonina do organismo, substância responsável por promover a sensação de prazer e bem-estar no corpo, o que acalma o cérebro e previne a enxaqueca.

4 – Fornece energia ao corpo
Ainda por causa da presença dos antioxidantes em sua composição, a melatonina pode ajudar a aumentar a disposição do corpo e melhorar seu o desempenho para a prática de atividades físicas. Além de fornecer mais energia ao corpo, o hormônio também pode ajudar na recuperação muscular, essencial para quem está em busca de ganhar massa magra de forma saudável e rápida.

5 – Trata o Mal de Parkinson
Para quem não sabe, a insônia é um dos principais sintomas reclamados por pacientes que sofrem com o Mal de Parkinson. Por este motivo, a melatonina pode ser uma grande aliada para melhorar o sono e, também, as funções motoras dessas pessoas, diminuindo a rigidez e os tremores.

6 – Trata a epilepsia
Da mesma forma que em portadores do Mal de Parkinson, a insônia é a principal queixa de quem sofre de epilepsia. Ao consumir o hormônio melatonina, os resultados nestes pacientes podem ser de menos crises convulsivas e acréscimo de 15 a 20 minutos às noites de sono.

7 – Ajuda a emagrecer
Como se não bastasse os demais benefícios acima, ao tomar a melatonina você também pode eliminar de vez aqueles quilinhos extras na balança. Isso porque o hormônio estimula o aparecimento da chamada “gordura bege” no organismo, responsável por queimar calorias em vez de armazená-la, como faz o nosso tecido adiposo branco.

O resultado é de regulação do peso corporal de forma eficiente e, é claro, as suas funções metabólicas.

8 – Protege o sistema imunológico
Graças às suas funções antioxidantes, a melatonina também é capaz de fortalecer a nossa imunidade, protegendo o nosso organismo de vários tipos de doenças, como gripes e resfriados, além de outras enfermidades ocasionadas pela ação do tempo e do envelhecimento.

9 – Previne o Mal de Alzheimer
Ainda por conta dos seus antioxidantes no corpo, a melatonina melhora as funções cerebrais e previne doenças como o Mal de Alzheimer. Isso porque o hormônio inibe a presença dos radicais livres no organismo, principais responsáveis pelo desenvolvimento da doença.

10 – Melhora o humor
Por ser rica em antioxidantes e promover a produção da serotonina no organismo, a melatonina pode ser auxiliar na regulação de distúrbios emocionais, principalmente aqueles relacionadas às mudanças climáticas, como na menopausa.

O resultado é de melhora do humor e do sono, além de sensação de maior descanso e equilíbrio emocional.

Melatonina engorda?
Essa é uma das principais dúvidas das pessoas quando se fala em tomar hormônios, como a melatonina. A resposta para essa pergunta é não. Como falamos nos parágrafos anteriores, ao contrário disso, a melatonina pode ajudar de forma significativa no emagrecimento saudável e rápido.

Isso porque ela estimula o surgimento da “gordura bege”, também conhecida como “gordura boa” no organismo, que ajuda a queimar as calorias consumidas dos alimentos, em vez de armazená-la e ocasionar um estoque de gorduras que favorecem o aumento de peso.

Portanto, ao auxiliar no controle de peso corporal e regular as suas funções metabólicas, a melatonina ajuda a emagrecer, sendo uma importante aliada, inclusive, de quem sofre com a obesidade.

Quem pode tomar?
A ingestão de melatonina deve ser recomendada por um médico especialistas à pessoas que trabalham no período noturno ou que fazem plantões à noite (como médicos, por exemplo), que fazem tratamento contra cânceres, que sofrem de insônia outros distúrbios do sono; ou, ainda, pessoas que viajam com freqüência, já que podem sofrer com o chamado jet-lag (efeito da mudança de um ou mais fusos horários).

Portanto, se você se encaixa em algum desses grupos ou sofre com os efeitos da redução do hormônio no organismo – geralmente, por causa da idade – a dica é procurar uma avaliação profissional para receitar a ingestão de melatonina.

Como tomar?
A suplementação com melatonina deve ser feita em uma dosagem máxima de 1 mg a 3 mg por dia, somente se recomendada por um médico especialista. No entanto, apenas ele poderá orientar sobre a quantidade exata que deve ser tomada de acordo com o seu caso, seja ele para melhorar o sono ou tratar alguma das doenças listadas acima.

O hormônio pode ser ingerido por meio das vias endovenosa, intramuscular, nasal (em spray) e oral. Por ser um hormônio natural, a melatonina não vicia e nem perde o seu efeito no organismo, mesmo com o uso prolongado.

Efeitos colaterais
Apesar de seus inúmeros benefícios, se consumida em excesso, a melatonina pode trazer alguns sintomas indesejados, como dores de cabeça, náuseas, tonturas, sonolência diurna, sensação depressiva, dores de estômago e irritabilidade.

Por isso, é recomendado seguir a orientação do médico de maneira adequada e não ultrapassar a dosagem recomendada do hormônio.

Contraindicações
Há determinados grupos de pessoas que não estão autorizadas pela medicina a consumirem a melatonina, uma vez que os estudos em relação a eles ainda não foram avançados e tampouco concluídos.

Entre eles estão crianças menores de 12 anos, gestantes ou candidatas à gravidez, pessoas com colesterol alto ou que consomem estatina, com problemas cardiovasculares e que fazem uso de medicamentos para controlar a pressão.

Onde comprar?
A ingestão de melatonina pode ser feita através de remédios (como o Melatonina DHE) e de suplementos (como a Melatonina Optimum). Portanto, você pode encontrá-la em lojas de produtos naturais, farmácias comuns e farmácias de manipulação.

Preço
A média de preços da melatonina varia bastante, uma vez que ela vai depender da forma como você vai consumi-la e da quantidade encontrada no produto que você comprar. O valor médio do hormônio é de R$ 50, o que deve mudar de acordo com a concentração dele em cada cápsula ou comprimido.

A melatonina tem registro na Anvisa?
A suplementação com melatonina não possui registro de comercialização na Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). No entanto, não é proibido o seu uso e nem importação para consumo.

Portanto, pode ficar tranquila se estiver pensando em comprar o suplemento. Só não se esqueça de que é necessária uma recomendação médica para ingerir o hormônio. Evite danos à sua saúde.

Alimentos
Outra forma mais fácil e menos perigosa de ingerir a melatonina é a partir da alimentação. Existem alguns alimentos, como frutas, cereais e vegetais, ricos nesse hormônio e que podem trazer os mesmos resultados da suplementação ou medicação.

Ao inseri-los na rotina alimentar de forma regular, é possível obter os benefícios citados no decorrer desse artigo de maneira rápida e saudável, sem qualquer efeito colateral.

Vamos conhecer quais são eles?

Tomate: É um poderoso fruto do qual já falamos aqui no blog. Além de suas propriedades antioxidantes, o tomate também é uma excelente fonte de melatonina. Portanto, você pode utilizá-lo em saladas ou fazer o seu suco para se beneficiar do hormônio.

Cereja: Também é rica em melatonina, além de conter alta concentração de vitaminas a, C e E, essenciais para a manutenção da saúde.

Goji Berry: A poderosa frutinha chinesa e vermelha, que também já foi assunto no blog, possui alto teor de melatonina. Portanto, além de se beneficiar dos seus demais efeitos, com o consumo regular da Goji Berry, você ainda pode aumentar os seus níveis de melatonina no organismo de forma eficiente.

Nozes: É um alimento altamente rico em melatonina, o equivalente a 3,4 mg para cada 1 grama de cereal. Por isso, se a sua intenção é aumentar a quantidade do hormônio no organismo, a dica é consumir nozes todos os dias, sempre no café da manhã, para obter os benefícios.

Banana: Além de todos os seus benefícios, que já mostramos a você quais são em outro post aqui no blog, a banana também possui em sua composição nutricional a melatonina, podendo ser utilizada como um sedativo natural de estresse, por exemplo.

Mostarda: Este alimento, além de ser um grande aliado do emagrecimento saudável e rápido, é também uma excelente fonte de melatonina, podendo ser incluído na dieta para obter os benefícios do hormônio, entre outros.

Amêndoas: O cereal é super recomendado por especialistas para ser inserido em uma dieta. Isso porque, além de conter propriedades emagrecedoras naturais em sua composição nutricional, as amêndoas também possuem alta concentração de melatonina, ideal para aumentar a quantidade já reduzida no organismo.

Gostou do artigo de hoje? Compartilhe!

Até a próxima!

fonte: https://tudoela.com/melatonina/

Comentário