Internacional

Remodelação após demissão de ministra em divergência com May

Thursday, 23/05/2019 | 16:09 A secretária de Estado das Finanças Mel Stride foi hoje promovida a ministra dos Assuntos Parlamentares, sucedendo a Andrea Leadsom, que se demitiu na quarta-feira em divergência com a política da primeira-ministra para o Brexit, foi hoje anunciado oficialmente.

A secretária de Estado das Finanças Mel Stride foi hoje promovida a ministra dos Assuntos Parlamentares, sucedendo a Andrea Leadsom, que se demitiu na quarta-feira em divergência com a política da primeira-ministra para o Brexit, foi hoje anunciado oficialmente.

Segundo o gabinete da primeira-ministra, Theresa May, Jesse Norman passa a ser o secretário de Estado das Finanças, deixando a secretaria de Estado dos Transportes a Michael Ellis, que é promovido de subsecretário de Estado da Cultura, posto que passa ser ocupado por Rebecca Pow.

Esta remodelação governamental é uma consequência da demissão na quarta-feira da ministra dos Assuntos Parlamentares, Andrea Leadsom, em desacordo com o plano da primeira-ministra, Theresa May, para tentar aplicar o 'Brexit'.

"Não acredito que sejamos um Reino Unido verdadeiramente soberano através do acordo que é agora proposto", alegou Leadsom, numa carta enviada à chefe de governo.

A deputada eurocética foi o 21.º membro do governo de May a demitir-se devido a questões relacionadas com o Brexit desde 2016.

Leadsom juntou-se assim a um coro de muitos políticos do partido Conservador descontentes com May, que apresentou na terça-feira os pontos gerais da nova proposta de lei para o 'Brexit' com a intenção de esta ser votada na sexta-feira 07 de junho.

Porém, hoje, o deputado Mark Spencer, um dos líderes do grupo parlamentar, afirmou que a publicação da lei não acontecerá na sexta-feira, como previsto, mas apenas quando o parlamento voltar de férias, a 4 de junho.

Porém, tanto a oposição como muitos dos deputados do partido Conservador manifestaram publicamente a intenção de votar contra, seja porque não aceita uma união aduaneira, seja porque admite a possibilidade de um novo referendo.

As três anteriores propostas de Brexit negociadas pela primeira-ministra britânica com Bruxelas foram rejeitadas por maiorias parlamentares, conduzindo a um impasse que obrigou Londres a prolongar o prazo de saída da União Europeia até 31 e outubro.

O jornal The Times noticia hoje que a primeira-ministra poderá ceder à pressão e anunciar na sexta-feira a demissão da liderança do partido, desencadeando uma eleição interna que resultará na sua substituição à frente dos 'tories' e, consequentemente, como chefe de governo.

fonte: https://www.noticiasaominuto.com/mundo/1257900/rem

Comentário